Notícias

Legislação e Direitos: o que muda para pessoas com deficiência

Saiba quais são os direitos fundamentais e outros concebidos às pessoas com deficiência.
bio-lorena
Lorena Motter Kikuti
Estagiária de Jornalismo
Publicado em

A Constituição da República Federativa do Brasil, promulgada em 1988, garante que todo e qualquer brasileiro ou estrangeiro residente no país, sem qualquer distinção de idade, religião, sexo, cor e outras maneiras de discriminação, receba a proteção e todos os direitos assegurados pelo Estado. 

Mas, o que muda para pessoas com deficiência?

Além dos direitos constitucionalmente certificados, existe a Lei Brasileira de Inclusão (LBI) que reitera os direitos a igualdade e não discriminação, atendimento prioritário, à assistência social, à acessibilidade, ao direito da informação, à tecnologia assistiva e outros direitos fundamentais. 

A cartilha “Saiba quais são os direitos das pessoas com deficiência e como requerê-los”, do ano de 2021, publicado pela Federação Nacional das Apaes, reúne uma série de direitos fundamentais das pessoas com deficiência para uma vida digna e igualitária. Confira abaixo alguns:

Educação

A educação constitui direito da pessoa com deficiência, tendo atestado um sistema educacional inclusivo em todos os níveis, à educação superior e à educação profissional e tecnológica em igualdade de oportunidades e condições com os demais, de maneira a alcançar o máximo de desenvolvimento possível cognitivo, motor, social, entre outros. 

Os pais e responsáveis têm prioridade na escolha do sistema educacional. As escolas especiais, notadamente as escolas mantidas pelas Apaes, mantêm estrutura e corpo docente especializados e treinados para a educação especial. É papel das Apaes realizarem a inclusão dos estudantes que optam por ser inseridos na rede comum de ensino. 

A pessoa com deficiência tem direito ao acesso à educação pública e gratuita certificado por lei, preferencialmente na Rede Regular de ensino. Ela tem direito de não ser excluída da escola em razão de sua condição. 

É garantido o acesso da pessoa com deficiência às instituições privadas, de qualquer nível e modalidade de ensino, sendo proibida a cobrança de valores adicionais de qualquer natureza em suas mensalidades, anuidades e matrículas, em razão da deficiência. 

A LBI identifica como crime a conduta de recusar o aluno em razão de sua deficiência. 

Saúde

O direito à saúde é garantido para as pessoas com deficiência intelectual, sendo certificada atenção integral à saúde em todos os níveis de complexidade, por meio do SUS, com acesso universal e igualitário. 

Na rede privada,  as operadoras de seguros e planos de saúde são obrigadas a garantir à pessoa com deficiência, todos os serviços e produtos ofertados aos demais clientes, sendo estritamente proibido a cobrança extra devido a sua condição, conforme arts. 18,20 e 23 da LBI. 

A assistência médica, os medicamentos gratuitos e o tratamento adequado, são deveres da União, dos estados e dos municípios, constatados na Constituição Federal, para garantir o direito à saúde em sua plenitude. 

A LBI revela que a recusa do plano de saúde em assegurar cobertura de atendimento à pessoa com deficiência é manifestamente discriminatória, podendo sofrer pena de reclusão e multa. 

Direitos relacionados ao trabalho

O poder público confere a pessoa com deficiência intelectual o direito ao trabalho de sua livre escolha e aceitação, em um ambiente acessível, inclusivo e igualitário, com direito a salário justo, acesso a cursos, treinamento, promoções, planos de carreira, bonificações e incentivos profissionais, sendo vedada restrição ao trabalho da pessoa com deficiência e qualquer discriminação por conta da sua condição, inclusive em etapas de recrutamento, contratação, admissão, entre outros. Nos casos que envolvem algum dos institutos da tutela, curatela e da tomada de decisão apoiada, um processo judicial viabiliza o exercício das escolhas da pessoa com deficiência em conjunto com um apoiador. 

Ainda, indivíduos com deficiência podem se tornar estagiários. Isso pode acontecer, desde que essa pessoa esteja matriculada e frequentando um curso de Educação Superior, Ensino Médio, de Educação Especial, nos anos finais do Ensino Fundamental, na modalidade profissional da educação de Jovens e Adultos e atestados pela instituição de ensino; celebre o termo de compromisso de estágio (acompanhada, quando necessário) e seja compatível às atividades previstas no termo de compromisso. A jornada diária deve ser de no máximo quatro horas por dia, no caso dos estudantes de Educação Especial. Ao estagiário com DI, o prazo contratual limite de dois anos se aplica, podendo ser estendido. 

Direitos Civis

A LBI modificou o Código Civil Brasileiro e definiu que a deficiência não interfere na plena capacidade civil da pessoa, até mesmo para casar-se e constituir união estável; desempenhar direitos sexuais e reprodutivos ou de decidir a quantidade de filhos desejados e ter o acesso à informação adequada sobre reprodução e planejamento familiar; direito à adoção entre outros. Porém, a capacidade de exercício pode ficar parcialmente limitada quando houver causa transitória ou permanente aos indivíduos que não puderem exprimir sua vontade a certos atos ou à maneira de os exercer. 

Assim, a LBI trouxe o Instituto da “tomada de decisão apoiada”, o qual representa um processo em que pessoas com deficiência intelectual escolhem pelo menos dois indivíduos para conduzir sua vida dentro dos princípios legais, que mantém vínculos e transmitem confiança, para prestar apoio na tomada de decisões sobre atos da vida civil, como exemplo: alugar um imóvel, submeter-se a um tratamento médico, matricular-se em um curso, etc.  Os termos do acordo, possuem limites, compromissos e prazos que devem ser homologados pelo juízo competente. Em caso de descumprimento por parte do apoiador, este será denunciado ao Ministério Público ou ao Juiz. 

Direitos políticos

A pessoa com DI e outras deficiências têm garantia a todos os direitos políticos e a oportunidade de exercê-los em condições igualitárias às demais pessoas, sendo estabelecido o direito ao voto e de ser votado por meio dessas ações:

  • Garantia de instalações, procedimentos, materiais e equipamentos adaptados e acessíveis; 
  • Incentivo à pessoa com DI a candidatar-se e exercer funções públicas; 
  • Garantia de que os pronunciamentos oficiais, a propaganda eleitoral obrigatória e debates possuam recursos de acessibilidade; 
  • Garantia de livre exercício do direito ao voto, com permissão de, sempre que necessário e a seu pedido, acompanhamento e auxílio da pessoa de sua escolha durante o momento de votação.

Para saber tudo sobre Deficiência Intelectual, Síndromes e Transtornos, siga a Apae Curitiba no Facebook e Instagram.

Ajude a Apae Curitiba com suas Notas Fiscais

A Apae Curitiba disponibiliza urnas de coleta para notas fiscais em instituições parceiras. Quando o cliente não informa seu CPF é possível deixá-las dentro da urna como forma de doação. Nós podemos recolher periodicamente e lançar no sistema do Nota Paraná e, assim, conseguimos receber o valor dos impostos e reverter em doação para ajudar com os custos da instituição. Se você tem um comércio, entre agora mesmo em contato conosco e informe seu desejo de nos ajudar que levaremos até você uma urna de coleta. Contamos com sua ajuda. Muitas vidas podem ser impactadas através dessa sua atitude. Saiba mais clicando AQUI

Notícias Relacionadas

Benefícios gerais da atividade física no TEA

Descubra os benefícios da prática de atividades físicas para crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA), aprenda a superar desafios específicos e conheça as atividades mais recomendadas para essas crianças.

Sem mais notícias por enquanto!
Pular para o conteúdo