Notícias

Brechó Colmeia: conheça a importância do voluntariado

O trabalho realizado fortalece laços e a causa da PCD.
bio-eduarda-zeglin
Eduarda Zeglin
Jornalista, Assistente de Comunicação, Marketing e Eventos
Publicado em

O Bazar Colmeia da Apae Curitiba representa uma das iniciativas que contribuem significativamente para angariar recursos em prol da instituição. Situado em Santa Felicidade, na Rua Orlando Perucci 1.472, este bazar atualmente é gerenciado por oito voluntários, os quais desempenham um papel crucial na manutenção da organização do espaço. No cotidiano, esses voluntários recebem as doações, realizam a triagem das peças, separam o que pode ser vendido e o que será destinado para doação.

Através de seu comprometimento e empatia, esses voluntários não somente coordenam o funcionamento eficiente do bazar, mas também constituem exemplos de dedicação, fazendo com que o trabalho se transforme em uma verdadeira missão em prol da Apae. 

Desde março deste ano, Ana Izabel Armstrong se destaca como voluntária no brechó. Ela encontra satisfação ao desempenhar suas funções na instituição, mesmo diante das adversidades enfrentadas no cotidiano. Armstrong relata que, ao não encontrar mais contentamento em seu envolvimento anterior como voluntária, e ao unir esse sentimento à energia contagiante e à determinação expressa por Estela, a responsável pelo bazar, tomou a decisão de contribuir ativamente no brechó.

A voluntária enfatiza a importância do engajamento das pessoas em uma causa significativa.‘’As pessoas podiam entender que se elas doassem um dia de cada semana pra cá ou pra qualquer outro lugar, faz muito mais bem pra gente do que o trabalho que efetivamente a gente faz, isso completa’’, disse Armstrong. 

Lilian Rocha Dissenha, oferece sua dedicação como voluntária há um período de um ano e meio, impulsionada pela perda de seu filho com deficiência, foi motivada a abraçar o voluntariado. Dissenha, compartilha, que, antes disso, nunca havia vivenciado o papel de voluntária direcionado para a PCD. Durante a pandemia de Covid-19, veio à memória a amizade com Estela, que já possuía vínculos com a instituição, e assim teve início a sua jornada nesse percurso de voluntariado.

Mesmo com o propósito de ficar apenas por um período, Dissenha decidiu colaborar por mais um tempo. ‘’Eu vim pra ficar um ano, porém a minha permanência se estendeu. O ambiente é muito gostoso, eu também vou nas outras escolas, eu me sinto muito próxima, me sinto energizada, isso me ajuda a superar a falta do meu filho. Eu acho que é uma honra fazer trabalho voluntário, é uma construção enorme que a gente faz, além da vida, pra quem acredita nisso. Mas acho que esses alunos existem pra nos lembrar que a gente precisa… a vida também é feita de caridade e a caridade às vezes não é só dinheiro, é a interação, é uma entrega de tempo’’, conta.

Atualmente aposentada, Rosani Furtado Mazepa é uma das voluntárias mais antigas no brechó. Antes de começar a dedicar-se a essa função, desempenhou papéis como coordenadora pedagógica e diretora na Escola de Estimulação e Desenvolvimento (CEDAE) da Apae Curitiba, onde atuou por quinze anos.

Mazepa enfatiza a relevância da participação de jovens em trabalhos voluntários, pois acredita que é essa geração deve assumir um papel crucial na continuidade do trabalho realizado pela instituição. “Estamos empenhados em envolver mães mais jovens, isso iria fortalecer esse espírito de voluntariado, de querer ajudar. Eu me sinto leve, tranquila e faço de coração, se tem que fazer peso a gente faz, se tem que sorrir a gente está aí, então eu acho que a gente tem essa leveza hoje’’, relata a colaboradora. 

Engajar-se no trabalho voluntário representa uma maneira significativa de colaborar com a Apae Curitiba. Essa oportunidade desempenha um papel fundamental ao proporcionar assistência a quase 500 alunos com deficiência intelectual e múltipla, contribuindo para melhorar a qualidade de vida deles.

Você também pode se tornar um voluntário e ingressar nesse time de APAExonados, basta entrar em contato com a Estela Gulin pelo telefone: 41 9243-5110 e obter mais informações. O brechó funciona todas às terças-feiras das 10h às 16h. Para quem quiser contribuir com doações é possível doar roupas, calçados, bijuterias, bolsas, produtos de beleza, brinquedos, material escolar, material esportivo e de recreação, equipamentos de informática, eletrodomésticos, eletrônicos, utensílios domésticos, móveis, artigos de decoração e enxoval de cama, mesa e banho. 

Seja um Voluntário da Apae Curitiba

Já pensou em doar algumas horas da sua semana para ajudar aqueles que necessitam? A Apae Curitiba precisa de você. Ser voluntário é uma atividade prazerosa e com espírito de equipe você contribui para o fortalecimento da organização na sociedade. Ficou interessado? Clique AQUI. Será um prazer ter você junto conosco, na causa da pessoa com deficiência intelectual.

Hoje a instituição atende quase 500 estudantes em cinco escolas, oferecendo saúde e assistência social. São realizados, em média, 50 mil atendimentos terapêuticos por ano e 3,5 mil por dia. Por ser uma instituição sem fins lucrativos precisa de apoio da sociedade. O ambiente precisa de reformas e para isso, que tal doar para a Apae Curitiba e apoiar a causa da pessoa com deficiência intelectual ou múltipla? É muito fácil, clique AQUI e saiba mais.

Notícias Relacionadas

Benefícios gerais da atividade física no TEA

Descubra os benefícios da prática de atividades físicas para crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA), aprenda a superar desafios específicos e conheça as atividades mais recomendadas para essas crianças.

Sem mais notícias por enquanto!
Pular para o conteúdo