Notícias

Funcionários da Apae Curitiba se reúnem no evento Vincula Ação – Laços que Transformam

O evento foi destinado a todos os funcionários com o propósito de trazer melhorias e colaborar com o trabalho da instituição.
bio-eduarda-zeglin
Eduarda Zeglin
Jornalista, Assistente de Comunicação, Marketing e Eventos
Publicado em

Ontem (20) os funcionários da Apae Curitiba participaram de um evento diferente, o Vincula Ação – Laços que transformam. O evento aconteceu no Teatro Regina Vogue e contou a presença dos funcionários de todas as áreas, como professores e coordenadores das cinco escolas, além do Setor Terapêutico e Administrativo.  

O evento teve como propósito alinhar questões relacionadas à entidade e propor novas práticas para que os funcionários possam realizar da melhor maneira o seu trabalho. No início do evento, a professora Adriana Estevão Maciel da Escola de Estimulação e Desenvolvimento (CEDAE), realizou uma apresentação de abertura e na sequência ocorreram várias palestras. A primeira foi ministrada por Maíra Oliveira, Chefe do Departamento de Educação Inclusiva – SEED no Governo do Estado do Paraná e ela trouxe questões relacionadas à maneira de atendimento na educação especial.  

Maíra falou sobre os desafios apresentados durante esse processo. ‘’Nós temos um grande desafio, não só do nosso departamento, mas do Conselho Estadual e com outras esferas que é nós construirmos essa proposta deixando muito claro, o que é escolarização e o que é educação. Nós precisamos olhar pra nossa educação de jovens e adultos de forma ocupacional, trabalhando as habilidades para a inclusão deles na sociedade’’, relatou.  

O Secretário de chefe de Estado, Rogério Carboni também esteve presente para agradecer em nome do Governo pelo trabalho realizado pela Apae. ‘’ Eu tive em uma das unidades de vocês em Santa Felicidade e vi como as pessoas são bem tratadas e os desafios que temos. O que seria dessas pessoas se não tivessem essa entidade de pessoas abnegadas igual a vocês, igual ao Michelon que reergueu a nossa Apae junto com a sua diretoria”, disse.  

O presidente da Apae, Paulo Roberto Michelon também destacou vários pontos importantes como a necessidade de melhorias dentro de cada setor e os novos projetos que devem ser realizados para suprir cada vez mais as necessidades de funcionamento e da qualidade de vida da pessoa com deficiência. ‘’Esse é um momento muito importante para a instituição. É um momento da gente equalizar o entendimento do que é a nossa instituição, a que ela se propõe e o que cabe a nós, quanto servidores da entidade, fazer para que os objetivos sejam atendidos. Então o trabalho fundamental desse dia é de colocar toda a nossa visão do trabalho que a Apae precisa desenvolver e convidar esses colaboradores a participarem desse trabalho, não só na execução, mas na construção dele’’, ressaltou o presidente.  

Após esse momento de reflexão e de conhecimento, todos os funcionários e colaboradores tiveram uma pausa para o café e almoço, podendo descontrair e estabelecer trocas com os colegas de trabalho. Os professores de educação física da escola CEDAE, Felipe Mattuella e Eloisa Moura reiniciaram as atividades com um momento animado de dança. Em seguida uma dinâmica foi realizada com alguns funcionários. 

Ao retomarem as palestras, Paulo Fortunado, jornalista e gerente de comunicação da instituição, abriu a sua apresentação falando sobre a importância desse setor dentro da Apae. O departamento de comunicação, marketing e eventos tem como objetivo disseminar informações e gerenciar as redes sociais da entidade, assegurando que o público esteja ciente de todas as atividades nas escolas, bem como dos eventos e outras iniciativas que contribuem para o crescimento da instituição. Fortunato enfatizou a importância dos números, destacando as métricas e o alcance atual em todas as plataformas de comunicação, como Google, Facebook, Instagram e YouTube. Após a reformulação do site, houve um aumento significativo de pessoas que têm acesso às informações no meio digital. 

Thiago Porto, diretor executivo da Apae também apresentou sua palestra, na qual compartilhou um pouco das suas vivências, e trouxe reflexões importantes que devem ser consideradas pelos funcionários. Ele destacou no início: ‘’não adianta a gente querer mudar o mundo e não fazer a nossa parte, então é dessa premissa desse tipo de valor que eu gostaria de começar a construir a visão que eu tenho sobre a sociedade e sobre o mundo’’, comentou.  

Laura Cutrim, coordenadora do Setor Terapêutico, iniciou sua apresentação com uma dinâmica que levou os funcionários a uma reflexão significativa. Ela convidou alguns voluntários para participar de uma atividade em grupo, na qual todos deveriam trabalhar juntos para fazer uma bolinha cair dentro de um recipiente. Essa ação ilustrou de forma clara da importância do trabalho em equipe, pois somente através da colaboração mútua é possível construir um ambiente acolhedor que reflita a missão da instituição. Ao trabalharem em conjunto, é possível manter uma dinâmica harmoniosa e colaborativa, o que contribui para o alcance dos objetivos comuns da equipe.  

A coordenadora também falou sobre melhorias que devem ser realizadas no ambiente de trabalho. ‘’Os esforços que a gente precisa fazer pra melhorar são muitos, a gente precisa aprimorar as nossas relações de trabalho, o nosso ambiente, para que as coisas aconteçam da melhor forma possível, a partir de processos, protocolos e de uma série de coisas que estão sendo criadas e que estão sendo implementadas’’, enfatizou.  

Sem dúvida a participação dos colaboradores e funcionários foi crucial para que a instituição continue crescendo, um dos exemplos de determinação foi de Maria Novastzki, que trabalha como auxiliar de limpeza na escola de Integração e Treinamento do Adulto (CITA) e deixou o seu relato. ‘’Na verdade é um aprendizado, é um encontro de conhecimentos, de buscas de realidades ao qual nós estamos vivendo no nosso momento atual da Apae. Profissionalmente eu espero hoje tirar muitas coisas lucrativas, uma delas é o aprendizado que eu estou levando para a minha vida pedagógica, eu estou terminando a minha faculdade, então são fatos importantes que eu quero levar pro meu conhecimento’’, completou Novastzki.  

O evento Vincula Ação – Laços que Transformam deve ser realizado em outras oportunidades para que todos possam ter esse momento de troca e conhecimento, fazendo valer a missão e o propósito da Apae, que é levar o melhor e o que há de mais atual no mercado para o desenvolvimento e o bem-estar de todos os alunos e acolhidos.  

A Apae Curitiba

A Apae Curitiba conta com três centros terapêuticos que oferecem atendimentos à saúde gratuitos às pessoas com deficiência intelectual ou múltipla. A instituição é mantenedora de cinco escolas especializadas localizadas em Santa Felicidade, Batel e Seminário, em Curitiba. Confira nossas escolas:

➔ Escola de Educação de Estimulação e Desenvolvimento – CEDAE: Faixa Etária: 0 a 5 anos e 11 meses. 

➔ Escola Luan Muller: Faixa Etária: de 06 a 15 anos e 11 meses. 

➔ Escola Terapêutica Vivenda: Faixa Etária: a partir de 16 anos, com atuação no EJA. 

➔ Escola Integração e Treinamento do Adulto – CITA: Faixa Etária: acima de 16 anos, com atuação no EJA. 

➔ Escola Agrícola Henriette Morineau: Adultos e adolescentes a partir de 17 anos.

Notícias Relacionadas

Benefícios gerais da atividade física no TEA

Descubra os benefícios da prática de atividades físicas para crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA), aprenda a superar desafios específicos e conheça as atividades mais recomendadas para essas crianças.

Sem mais notícias por enquanto!
Pular para o conteúdo