Notícias

Conheça estratégias de manejo para aprimorar habilidades na vida cotidiana e escolar de crianças com a síndrome de Williams

Estimular a tomada de decisões a partir dos três anos promove autonomia e desenvolvimento infantil, preparando as crianças para desafios futuros com confiança.
bio-eduarda-zeglin
Eduarda Zeglin
Assistente de Comunicação, Marketing e Eventos
Publicado em

O desenvolvimento e o treinamento das habilidades sociais desempenham um papel crucial na vida de crianças  com deficiência intelectual, incluindo a síndrome de Williams. Para esses indivíduos, aprimorar essas competências não apenas facilita a vida cotidiana, mas também desempenha um papel vital na promoção da inclusão social e no desenvolvimento global. 

A síndrome de Williams é uma condição genética rara que atinge menos de 5 em cada 10.000 pessoas e afeta o desenvolvimento neurológico e cognitivo. Para fortalecer as habilidades sociais, é necessário utilizar estratégias adaptativas. Com intervenções especializadas e suporte contínuo, é possível potencializar a capacidade dessas crianças de compreenderem o mundo ao seu redor e estabelecerem conexões significativas com os outros, contribuindo para uma qualidade de vida mais plena e inclusiva.

O desenvolvimento das habilidades da vida diária é crucial para crianças que enfrentam síndromes e transtornos. Essas habilidades promovem autonomia, autoestima e autoconfiança. As tarefas cotidianas, como se vestir, alimentar-se e cuidar da higiene pessoal, contribuem para a integração e participação dessas crianças nas atividades diárias e na sociedade como um todo.

Segundo o ‘’Guia comportamental de crianças e adolescentes com síndrome de Williams”, os psicólogos orientam que algumas estratégias podem ser adotas a essas crianças e jovens da mesma forma que são manejadas as que tem síndrome de Down e autismo, auxiliando não só os pais, mas toda a equipe multidisciplinar e cuidadores. 

O guia ainda recomenda o estímulo do desenvolvimento das habilidades da vida diária a partir dos três anos de idade. Isso inclui manter a autonomia para se alimentar, aprender a usar adequadamente o banheiro, manter a higiene, saber se vestir, organizar pertences pessoais, resolver problemas do dia a dia, participar da rotina doméstica, desenvolver noções de autoproteção e estimular interações sociais.

Para aprimorar essas habilidades, o guia sugere que os cuidadores permaneçam atentos aos sinais iniciais de problemas de comportamento. Isso inclui observar quando e onde esses comportamentos tendem a ocorrer, identificar as pessoas ou objetos presentes antes do problema, notar quais comportamentos foram manifestados antes do comportamento inadequado, entender as ações subsequentes ao problema e observar como as pessoas reagem depois do ocorrido.

Diante desses sinais, é crucial que, após sua manifestação, os pais e responsáveis evitem aplicar castigos, optando por fornecer instruções sobre o que deve ser feito. Além disso, é recomendável recompensar positivamente o bom comportamento mantido.

Estratégias de manejo na vida escolar

Com base em estudos científicos, o guia também ressalta estratégias para estimular habilidades no ambiente escolar, como o uso de mapas e materiais interativos. A aplicação de mapas em sala de aula, por exemplo, auxiliam a criança na organização espacial e no entendimento de onde os objetos devem ser guardados.

A compreensão das atividades e tarefas também devem ser adotadas em sala de aula, estimulando a criança a se desenvolver e a manter a sua autonomia. Nesses casos sugere-se que a criança desempenhe e expresse verbalmente o entendimento dela sobre as atividades, corrigindo-a quando necessário e a encorajando a não desistir. Os materiais didáticos podem ser aliados e ajudam a fortalecer a compreensão e podem ser utilizados em diversas atividades, auxiliando na representação de conceitos abstratos.

No que diz respeito à leitura e à escrita, os estudos científicos propõem que a criança estimule a sua capacidade fonoaudiológica, refletindo sobre a estrutura sonora das palavras. Crianças com SW têm aptidões para outras áreas do conhecimento como a música, por exemplo, podendo ser uma ferramenta positiva ao desenvolver atividades musicais adaptadas para brincadeiras de identificar nomes, memória auditiva, além de rimas. Recomenda-se que os educadores recorram ao uso do alfabeto móvel. O reconhecimento de letras também pode ser eficaz com o auxílio de materiais gráficos que apresentem letras em diferentes tamanhos e cores.

Essas estratégias não se limitam ao ambiente escolar e podem ser aplicadas pelos pais em casa. O estímulo consistente tanto dentro quanto fora da escola é crucial para a compreensão e execução eficaz. Além disso, essas são algumas das abordagens estudadas que podem ser estabelecidas por pesquisadores e cientistas, aprimorando constantemente as estratégias para otimizar o funcionamento e o manejo dessas práticas de forma ainda mais eficiente.

Seja um Voluntário da Apae Curitiba

Já pensou em doar algumas horas da sua semana para ajudar aqueles que necessitam? A Apae Curitiba precisa de você. Ser voluntário é uma atividade prazerosa e com espírito de equipe você contribui para o fortalecimento da organização na sociedade. Ficou interessado? Clique AQUI. Será um prazer ter você junto conosco, na causa da pessoa com deficiência intelectual.

Hoje a instituição atende quase 474 estudantes em cinco escolas, oferecendo saúde e assistência social. São realizados, em média, 40 mil atendimentos terapêuticos por ano e 3,4 mil por mês. Por ser uma instituição sem fins lucrativos precisa de apoio da sociedade. O ambiente precisa de reformas e para isso, que tal doar para a Apae Curitiba e apoiar a causa da pessoa com deficiência intelectual ou múltipla? É muito fácil, clique AQUI e saiba mais. 

Notícias Relacionadas

Nota à Imprensa e a Comunidade

Voltar Notícias Paulo Fortunato Jornalista, Gerente de Comunicação, Markentig e Eventos Publicado em21 de fevereiro de 2024 A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Curitiba vem por

Sem mais notícias por enquanto!
Pular para o conteúdo