Notícias

Síndrome de Williams: o que é e o que fazer

É uma condição genética rara que pode afetar o desenvolvimento físico, emocional e intelectual de uma pessoa.
bio-eduarda-zeglin
Eduarda Zeglin
Assistente de Comunicação, Marketing e Eventos
Publicado em

A Síndrome de Williams é uma condição genética rara que afeta aproximadamente 1 em 10.000 nascimentos. Os sintomas da Síndrome de Williams incluem o desenvolvimento facial distinto, hipotonia muscular, atraso no desenvolvimento intelectual e emocional, problemas de coração e outras condições médicas associadas.

Embora a Síndrome de Williams possa afetar significativamente o desenvolvimento de uma pessoa, com o devido apoio e recursos, as pessoas com a condição podem ter uma vida longa e satisfatória. É importante oferecer a elas terapias, incluindo terapia ocupacional, fisioterapia e terapia da fala, para ajudá-las a desenvolver habilidades importantes. Além disso, é importante fornecer acesso a escolas e programas especializados que possam ajudar a maximizar seu potencial.

A família também desempenha um papel importante no apoio a uma pessoa com Síndrome de Williams. É necessário fornecer a eles informações sobre a condição e recursos disponíveis, bem como o apoio emocional durante o processo. Grupos de apoio e programas de mentorado também podem ser uma ótima fonte de suporte para as famílias.

Características

  • Desenvolvimento Facial Distinto: As pessoas com Síndrome de Williams geralmente apresentam um desenvolvimento facial distinto, incluindo uma fronte larga, olhos espaçados, bochechas proeminentes e lábios finos.
  • Hipotonia Muscular: A hipotonia muscular, ou fraqueza muscular, é comum em pessoas com Síndrome de Williams, o que pode dificultar o desenvolvimento de habilidades motoras básicas.
  • Atraso no Desenvolvimento Intelectual e Emocional: As pessoas com Síndrome de Williams frequentemente apresentam atraso no desenvolvimento intelectual e emocional, o que pode afetar a capacidade de aprender e se comunicar.
  • Problemas de Coração: Algumas pessoas com Síndrome de Williams podem ter problemas de coração, como estenose aórtica ou canal atrioventricular estreito.
  • Outras Condições Médicas Associadas: Algumas pessoas com Síndrome de Williams podem ter outras condições médicas associadas, incluindo problemas de visão, audição, dentição, disfunção intestinal ou enurese noturna.

Diagnóstico

O diagnóstico da Síndrome de Williams é feito a partir de uma combinação de sinais clínicos, histórico familiar e resultados de exames genéticos, incluindo testes genéticos específicos como análise de sequenciamento de DNA ou hibridação in situ fluorescente. 

Em alguns casos, a condição pode ser diagnosticada antes do nascimento por meio de exames pré-natais, mas muitas vezes só é detectada após o nascimento quando as características físicas e de desenvolvimento tornam-se aparentes. 

O diagnóstico preciso é importante para maximizar o desenvolvimento e a qualidade de vida da pessoa afectada, sendo necessária uma avaliação por um profissional de saúde qualificado.

Tratamento

O tratamento da Síndrome de Williams é feito com uma abordagem multidisciplinar, envolvendo uma equipe de profissionais de saúde que trabalham juntos para fornecer a melhor assistência possível. Não há cura para a condição, mas o tratamento pode ajudar a melhorar a qualidade de vida e a função dos indivíduos afetados. 

O tratamento inclui intervenções terapêuticas, tais como fisioterapia, terapia ocupacional e terapia da fala, além de medicamentos para controlar problemas de saúde específicos, como convulsões ou comportamentos agressivos. 

A educação e o apoio às famílias também são importantes para garantir o melhor cuidado possível para a pessoa afectada. É importante lembrar que cada pessoa com Síndrome de Williams é única e que o tratamento deve ser personalizado de acordo com suas necessidades e condições de saúde.

 

Não deixe de doar! Ajude a Apae Curitiba

A Apae de Curitiba precisa da sua ajuda. Hoje a instituição atende quase 500 estudantes em cinco escolas, oferecendo saúde e assistência social. São realizados, em média, 50 mil atendimentos terapêuticos por ano e 3,5 mil por dia. Por ser uma instituição sem fins lucrativos precisa de apoio da sociedade. O ambiente precisa de reformas e para isso, que tal doar para a Apae Curitiba e apoiar a causa da pessoa com deficiência intelectual ou múltipla? É muito fácil, clique AQUI e saiba mais. 

Contamos com três centros terapêuticos com atendimentos gratuitos às pessoas com deficiência intelectual ou múltipla. A instituição é mantenedora de cinco escolas especializadas localizadas em Santa Felicidade, Batel e Seminário, em Curitiba; e sete Casas Lar. Confira nossas escolas clicando AQUI

Notícias Relacionadas

Nota à Imprensa e a Comunidade

Voltar Notícias Paulo Fortunato Jornalista, Gerente de Comunicação, Markentig e Eventos Publicado em21 de fevereiro de 2024 A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Curitiba vem por

Apae Curitiba implementa sistema de ouvidoria

Os integrantes da comissão de ética serão responsáveis por definir os procedimentos de conduta em relação às denúncias que surgirem, conduzindo o processo de maneira transparente e responsável.

Sem mais notícias por enquanto!
Pular para o conteúdo