Notícias

Hidrocefalia: o que é e o que fazer?

A condição pode causar atrasos no desenvolvimento da criança.
bio-eduarda-zeglin
Eduarda Zeglin
Assistente de Comunicação, Marketing e Eventos
Publicado em

A hidrocefalia é uma condição médica caracterizada pelo acúmulo excessivo de líquido cefalorraquidiano nos ventrículos cerebrais, resultando em aumento da pressão intracraniana. Essa condição pode afetar pessoas de todas as idades, desde recém-nascidos até idosos. 

De acordo com o neurologista da Apae Curitiba, Edson Piana, a hidrocefalia pode ser dividida em dois tipos: obstrutiva e não obstrutiva. A hidrocefalia obstrutiva ocorre quando há um bloqueio na circulação do líquido no cérebro, enquanto a não obstrutiva acontece quando o líquido não é reabsorvido corretamente. Esses problemas podem ser congênitos ou surgir após o nascimento. A hidrocefalia de pressão normal idiopática é mais comum em idosos e causa o aumento dos ventrículos cerebrais. As complicações podem variar dependendo das áreas afetadas e incluir dificuldades cognitivas, de aprendizado, visão, audição e equilíbrio.

Sintomas

Os sintomas da hidrocefalia podem variar com a idade em que se manifestam. Em bebês, podem incluir o crescimento rápido da cabeça e alteração do formato do crânio devido ao acúmulo de líquido nos ventrículos. Também pode ser observada a dilatação da fontanela, a moleira, quando os ossos do crânio ainda não se uniram. Em crianças, um sintoma comum é o atraso no desenvolvimento psicomotor. É importante buscar avaliação médica caso esses sinais sejam observados. 

Diagnóstico

A hidrocefalia congênita pode ser descoberta antes do bebê nascer, durante os exames de ultrassom de rotina durante a gravidez. Mas também é possível fazer o diagnóstico depois do nascimento, na infância ou até mesmo mais tarde, se houver sinais que chamem a atenção. O médico leva em conta os sintomas físicos, o histórico médico do paciente e faz uma avaliação do sistema nervoso. Exames de imagem, como ultrassom, tomografia computadorizada e ressonância magnética, ajudam a confirmar o diagnóstico, mostrando se os ventrículos cerebrais estão dilatados. 

Tratamentos

O Dr. Edson afirma que as condições de tratamento podem ser voltadas à correção do distúrbio, mas na maioria dos casos é realizado o processo cirúrgico. Outros processos de intervenção também podem ser realizados, como os procedimentos minimamente invasivos como é o caso da endoscopia. Em casos como a hidrocefalia congênita, sem causa genética ou provocada por doenças infecciosas é possível intervir durante o período de gestação. 

A importância do diagnóstico

O diagnóstico precoce da hidrocefalia é de extrema importância para evitar atrasos no desenvolvimento intelectual da criança. Identificar a condição o mais cedo possível permite que medidas de tratamento sejam tomadas, visando aliviar a pressão excessiva no cérebro e prevenir danos adicionais. Quanto mais cedo a hidrocefalia for diagnosticada, maiores são as chances de controlar os sintomas e minimizar os impactos no desenvolvimento cognitivo da criança. 

A hidrocefalia não tratada pode levar a complicações como convulsões, paradas cardio respiratórias, alterações motoras e atrasos no desenvolvimento intelectual. O tratamento adequado, por meio de cirurgias ou outras intervenções médicas, pode ajudar a normalizar a pressão intracraniana e permitir um desenvolvimento saudável do cérebro da criança. Portanto, o diagnóstico precoce da hidrocefalia desempenha um papel fundamental na garantia de que a criança receba os cuidados adequados e oportunidades de intervenção para que seu desenvolvimento intelectual não seja comprometido.

A Apae desempenha um papel fundamental na assistência e cuidados de pessoas com hidrocefalia e deficiência intelectual. A instituição oferece suporte multidisciplinar, envolvendo profissionais como médicos, terapeutas, psicólogos e educadores, que trabalham em equipe para proporcionar um atendimento especializado e individualizado, sempre na busca da inclusão e autonomia das pessoas com deficiência intelectual, visando garantir uma qualidade de vida melhor e uma maior participação na sociedade.

Faça um PIX e ajude a Apae Curitiba

Doar ficou ainda mais fácil com a opção PIX. Agora você tem mais essa modalidade, que é muito rápida, prática e segura. Lembre-se, que sua doação vale muito para a Apae Curitiba. Atualmente, são quase 500 estudantes e 35 moradores que recebem atendimentos nas áreas de saúde, educação e assistência social. São realizados, em média, 50 mil atendimentos terapêuticos por ano e 3,5 mil por dia. Por ser uma instituição sem fins lucrativos precisa de apoio da sociedade. Faça um PIX pela chave: [email protected]v

Notícias Relacionadas

Nota à Imprensa e a Comunidade

Voltar Notícias Paulo Fortunato Jornalista, Gerente de Comunicação, Markentig e Eventos Publicado em21 de fevereiro de 2024 A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Curitiba vem por

Sem mais notícias por enquanto!
Pular para o conteúdo