Notícias

Currículo Funcional Natural: uma proposta metodológica que atende as necessidades das PcD

A proposta de ensino encontra estratégias que possibilitam uma aprendizagem mais produtiva aos alunos.
Currículo Funcional Natural: uma proposta metodológica que atende as necessidades das PcD
Eduarda Zeglin
Estagiária de Jornalismo
Publicado em

As escolas especiais procuram pensar nas melhores estratégias para alcançar o bom desempenho do aluno em sala de aula. É preciso torná-los mais independentes, e produtivos, incentivando ao desenvolvimento de suas habilidades. Para que esse processo funcione na prática foi estabelecido o Currículo Funcional Natural para melhorar a atenção, comunicação, memória, entre outros fatores.

A proposta metodológica de ensino é utilizada no Brasil há aproximadamente 10 anos para atendimento de pessoas com dificuldades de comunicação, interação social, comportamento e aprendizagem. Teve início na década de 70 na Universidade de Kansas (USA) propondo desenvolver habilidades que levassem os alunos a atuarem da melhor forma possível no ambiente, tornando-os mais criativos e independentes. 

Segundo o artigo ‘’Os Desafios da Escola Pública Paranaense na Perspectiva do Professor – PDE Produções Didático-Pedagógicas,’’ o currículo é designado por funcional ‘’porque não avalia apenas o estudante, mas procura entender o que pode ser útil e funcional para melhorar o desempenho global, o acesso ao conhecimento, garantindo assim, a melhoria e qualidade de vida do educando e seus familiares.’’

Diante dessa perspectiva, o método também faz com que os profissionais da educação possam encontrar novas estratégias que possibilitam uma aprendizagem mais produtiva e que levam os alunos a atuarem da melhor forma possível no ambiente, tornando-os mais criativos e independentes. 

Segundo o manual ‘’Currículo Funcional Natural na Abordagem Ecológica’’ produzido pela equipe da Apae de Bauru, o método consiste em responder três questões fundamentais: O que ensinar? Para que ensinar? E como ensinar? As quais destacam alguns princípios básicos como: 

  • Conhecer o aluno; 
  • Tratar o aluno como pessoa;
  • Considerar que o aluno tem direito, capacidade e necessidade de conviver em comunidade; 
  • Acreditar que todo aluno pode aprender; 
  • Planejar coerentemente com a realidade de cada aluno em particular; 
  • Conhecer o meio atual onde o aluno vive, com quem e como ele convive; 
  • Inserir a família no processo ensino aprendizagem;
  • Promover ações de integração com a comunidade.
 

É importante que o planejamento curricular seja desenvolvido conforme as necessidades de cada criança e que respeite as etapas de desenvolvimento, afinal cada um necessita de um estímulo diferente em relação às suas capacidades e limitações e também questões que envolvem o lado social e afetivo.

O currículo deve priorizar os conteúdos da grade curricular, mas, em simultâneo, pode ser aplicado às metodologias que envolvem a vida diária do aluno. Ele abrange inúmeras propostas atuando em diferentes esferas como na escola, na família e na sociedade. 

As estratégias que envolvem as habilidades de planejamento pessoal, o desenvolvimento da linguagem, da comunicação e da interação, são meios que visam colaborar para melhor aprendizado em todas as disciplinas da grade curricular. Nesse contexto, umas das ferramentas mais utilizadas são os jogos, que tornam a aprendizagem mais lúdica e didática. Todas as questões são trabalhadas de forma gradativa e podem ser aplicadas tanto de forma individual como em grupo. 

Outras formas de integração desse sistema ajudam a ter um pensamento crítico, bom relacionamento, desenvolvimento de atividades motoras, manter o exercício da produtividade, desenvolver a expressão corporal, além de tornar um cidadão com espírito competitivo e que com valores éticos e democráticos. 

Os professores são figuras importantes para estabelecer um planejamento que atenda todas as necessidades e que consiga acompanhar o aluno. O currículo funcional oferece a oportunidade de proporcionar condições mais qualificadas de aprendizagem, além de tornar o educando mais comprometido que consiga desenvolver seu potencial. 

Faça um PIX e ajude a Apae Curitiba

Doar ficou ainda mais fácil com a opção PIX. Agora você tem mais essa modalidade, sendo muito rápida, prática e segura. Lembre-se, que sua doação vale muito para a Apae Curitiba. Atualmente, são quase 500 estudantes e 35 moradores que recebem atendimentos nas áreas de saúde e assistência social. São realizados, em média, 50 mil atendimentos terapêuticos por ano e 3,5 mil por dia. Por ser uma instituição sem fins lucrativos precisa de apoio da sociedade. Faça um PIX pela chave: doe@apaecuritiba.org.br (Chave) 

A Apae Curitiba conta com três centros terapêuticos com atendimentos gratuitos às pessoas com deficiência intelectual ou múltipla. A instituição é mantenedora de cinco escolas especializadas localizadas em Santa Felicidade, Batel e Seminário, em Curitiba; e sete Casas Lar. Confira nossas escolas clicando AQUI.

Notícias Relacionadas

Sem mais notícias por enquanto!
Skip to content