Notícias

Apaecast mostra a importância de romper as barreiras atitudinais

O episódio conta com a presença da psicóloga da Apae Curitiba, Laura Cutrim.
Apaecast mostra a importância de romper as barreiras atitudinais
Eduarda Zeglin
Estagiária de Jornalismo
Publicado em
Atitudes capacitistas

Neste ano, a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência (PcD) Intelectual e Múltipla, estabelecida pela Federação Nacional das Apaes (Fenapaes), tem como tema “Superar Barreiras para Garantir a Inclusão”. Diante disso, no Apaecast especial da Semana Nacional da Pessoa com Deficiência (PcD) Intelectual e Múltipla de hoje (25) você confere uma entrevista com a psicóloga, Laura Cutrim. Ela debate sobre as barreiras atitudinais que hoje em dia afetam mais de 45 milhões de pessoas.

As barreiras atitudinais são comportamentos que dificultam e prejudicam o desenvolvimento e a socialização da pessoa com deficiência. Laura dá alguns exemplos de situações como esta. Como exemplo, podemos citar os momentos em que tratamos a pessoa com infantilidade, quando referimos ao responsável durante as conversas, não dando o espaço de fala; ou quando chamamos uma PcD para fazer parte do meio em que estamos, mas não a incluímos totalmente. “É importante que quando você tiver diante de uma PcD, você realmente pratique a inclusão e faça com que isso aconteça e faça a sua parte”, diz. 

Só pelo fato de não concedermos o espaço de fala à pessoa com deficiência, abrimos portas para as barreiras que geram desqualificação, trazendo o sentimento de irrelevância do seu posicionamento. É importante que eles se expressem e se sintam pertencentes ao ambiente que se encontram, seja na própria família ou no meio escolar. 

Laura diz que trabalhar no fortalecimento familiar é essencial para quebrar barreiras. É preciso que a família dê espaço e ensine as pessoas que vão conviver com a pessoa com deficiência a se comportarem diante delas. “Quando pensamos no fortalecimento familiar, pensamos em uma família que conhece a PcD, que sabe das suas dificuldades, mas que também dá espaço para que elas se expressem”, explica. Ainda ressalta a importância de se buscar informações de qualidade que possibilitem à sociedade ampliar seu conhecimento, quebrar as visões preconceituosas e atitudes que não colaboram para o desenvolvimento e nem para inclusão das PcD.

Seja um Dindo ou uma Dinda e ajude a Apae

O projeto trata-se de uma ação de apadrinhamento onde a cada mês poderá ser doado uma determinada quantia para a instituição. O valor vai ajudar a Apae manter seu funcionamento e utilizá-lo nas reformas nas escolas. Podem participar da campanha qualquer pessoa interessada que entrar em contato com a idealizadora pelo WhatsApp (41) 9 9788-7886 ou pelo e-mail captacao@apaecuritiba.org.br. Seja um dindo ou uma dinda clicando AQUI.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Ut elit tellus, luctus nec ullamcorper mattis, pulvinar dapibus leo.

Notícias Relacionadas

Sem mais notícias por enquanto!
Skip to content