Notícias

Neurodiversidade e Espectro Autista

O movimento está relacionado com o espectro e também abrange outras condições que merecem reconhecimento.
bio-eduarda-zeglin
Eduarda Zeglin
Jornalista, Assistente de Comunicação, Marketing e Eventos
Publicado em

O conceito da Neurodiversidade tem ganhado cada vez mais destaque, principalmente entre indivíduos com deficiência intelectual, afinal o movimento tem o objetivo de celebrar a diversidade e reconhecer a importância das diferenças neurológicas.

Muito se fala sobre a conexão da neurodiversidade com o autismo, e essa relação está relacionada ao fato de que o Transtorno do Espectro Autista (TEA) não é mais considerado uma patologia e, consequentemente, não ter uma cura. O mesmo princípio se aplica a outras situações que envolvem a neurodiversidade, como a dispraxia, o Transtorno de Déficit de Atenção, Hiperatividade (TDAH) entre outros. 

De acordo com um artigo publicado pelo portal Genial Care, o termo neurodiversidade foi inicialmente utilizado por uma pessoa com TEA, dessa forma gerou visibilidade e destaque aos autistas. A fita de conscintização e a cor azul são exemplos de elementos associados ao movimento, os quais promovem a inclusão e a compreensão sobre a condição. 

Em termos gerais, podemos dizer que um dos principais objetivos da comunidade autista é garantir a inclusão das pessoas no espectro nas discussões relacionadas à causa. Graças aos movimentos em prol da neurodiversidade, a presença de autistas em eventos sobre o tema tem se tornado mais notável, e sua relevância na comunidade tem aumentado significativamente.

A neurodiversidade reconhece que cada pessoa tem suas próprias habilidades, desafios e perspectivas, independentemente de sua condição. O movimento incentiva as pessoas a enxergarem as diferenças como variações naturais da condição humana. Assim como as pessoas podem ter diferentes tipos de habilidades físicas, cognitivas e emocionais que variam amplamente.

Ao abraçar a neurodiversidade, a sociedade pode promover a inclusão e a igualdade de oportunidades para todas as pessoas, independentemente de sua condição. Isso significa criar ambientes de trabalho e espaços nas comunidades que sejam acessíveis e respeitem as necessidades individuais. Também implica em reconhecer que as diferenças neurológicas podem trazer perspectivas únicas e valiosas para resolver problemas e promover a inovação.

Seja um Voluntário da Apae Curitiba

Já pensou em doar algumas horas da sua semana para ajudar aqueles que necessitam? A Apae Curitiba precisa de você. Ser voluntário é uma atividade prazerosa e com espírito de equipe você contribui para o fortalecimento da organização na sociedade. Ficou interessado? Clique AQUI. Será um prazer ter você junto conosco, na causa da pessoa com deficiência intelectual.

Hoje a instituição atende quase 500 estudantes em cinco escolas, oferecendo saúde e assistência social. São realizados, em média, 50 mil atendimentos terapêuticos por ano e 3,5 mil por dia. Por ser uma instituição sem fins lucrativos precisa de apoio da sociedade. O ambiente precisa de reformas e para isso, que tal doar para a Apae Curitiba e apoiar a causa da pessoa com deficiência intelectual ou múltipla? É muito fácil, clique AQUI e saiba mais. 

Notícias Relacionadas

Benefícios gerais da atividade física no TEA

Descubra os benefícios da prática de atividades físicas para crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA), aprenda a superar desafios específicos e conheça as atividades mais recomendadas para essas crianças.

Sem mais notícias por enquanto!
Pular para o conteúdo