Notícias

Músicas ajudam no desenvolvimento cognitivo de pessoas com deficiência intelectual

Os ritmos musicais fazem com que as pessoas desenvolvam criatividade, disciplina, memória, enriquecimento cultural, linguagem e estimulação do corpo.
Músicas ajudam no desenvolvimento cognitivo de pessoas com deficiência intelectual
Eduarda Zeglin
Estagiária de Jornalismo
Publicado em
Músicas ajudam o desenvolvimento cognitivo de pessoas com deficiência intelectual

A música vai além de proporcionar um melhor desenvolvimento motor de quem dança. Ela anima, acalma, concentra e estimula o cérebro. O mesmo ocorre com as pessoas com deficiência intelectual atendidas pela Apae Curitiba, dando oportunidade de terem experiências multissensoriais importantes para o desenvolvimento. Além de divertir, as atividades artísticas, como dança, música, pintura e desenho, são modos de incentivar as aptidões e competências de independência, raciocínio, pensamento crítico e coordenação.

Segundo o professor de música da Escola Terapêutica Vivenda da instituição, Diego Wandal dos Santos “as aulas de música e apreciação musical permitem que os estudantes tenham convivência, não apenas com o conteúdo sonoro, mas também o contato físico e visual a partir da experimentação e atenção necessária para as práticas propostas.’’ Ele explica que a eficácia está relacionada aos aspectos neurológicos, psicomotores e afetivos. 

As pessoas com deficiência intelectual podem ser inseridas de diversas maneiras no contexto musical, seja em escolas especializadas ou até mesmo no ambiente familiar, com a produção de ambientes onde todos possam participar de maneira efetiva e consistente. Mas como a música pode colaborar no desenvolvimento cognitivo? O professor de música separou seis benefícios proporcionados por ela.

Criatividade – O processo criativo deve ser enquadrado no ensino especial, pois é a partir dele que se consegue compreender melhor os seus sentimentos e a forma de se expressar.

Disciplina – A música exige disciplina. Os processos que a compõem fazem parte da prática musical, causando a percepção da criança sobre os sons, as letras e a interpretação do que a canção quer passar. 

Enriquecimento cultural – Sem dúvida a música é um dos principais pilares no que diz respeito a cultura. com ela é possível aprender sobre a diversidade, além da inclusão na sociedade. 

Memória – Quando traz a presença adequada da repetição, fortalece a memória e retenção de informação da criança, mesmo em diferentes aspectos não musicais.

Linguagem – Colabora para ampliar o vocabulário, trazendo novos significados, além de estimular aspectos gestuais e expressivos, fundamentais para o desenvolvimento da comunicação.

Estimulação do corpo e da mente – É extremamente efetiva quando se trata da noção de espaço e tempo, originando maior consciência corporal. Alguns exemplos são as músicas relaxantes incluídas em massagens ou as músicas alegres em momentos de diversão e brincadeira.

A Escola Terapêutica Vivenda

A Escola Terapêutica Vivenda está localizada na Rua Orlando Peruci, 1472, Butiatuvinha – Santa Felicidade –, em Curitiba. Seu público alvo envolve pessoas com deficiência intelectual severa, múltiplas deficiências e transtornos globais do desenvolvimento a partir dos 16 anos. 

Visa possibilitar e ofertar programas e atividades que favoreçam o desenvolvimento das habilidades cognitivas, sócio afetivas, motoras e comportamentais, permitindo que o educando seja favorecido em suas práticas de vida diária e inserção social, melhorando sua qualidade de vida.

A Proposta Curricular contempla os conhecimentos: aprendizagem de valores, atitudes sociais, educação para a cidadania e vivência funcional de acordo com a necessidade dos estudantes, permitindo a compreensão e atuação em seu meio de convívio.

Saiba mais sobre as escolas da Apae Curitiba clicando AQUI

Estudante da Escola Vivenda numa sala de aula

Imagem principal: Ryan McGuire/Pixabay

Notícias Relacionadas

Sem mais notícias por enquanto!
Skip to content