Notícias

Exposição Trintarte da Apae Curitiba em prol à pessoa com deficiência intelectual

Exposição é um movimento para arrecadar fundos em nome dos atendidos pela instituição
Exposição Trintarte da Apae Curitiba em prol à pessoa com deficiência intelectual
Rhúbia Ribeiro
Assistente de Marketing
Publicado em
Quadro do artista Douglas Krieger

A Exposição de Arte que ajudará a causa da pessoa com deficiência intelectual ou múltipla da Apae Curitiba já tem data marcada.  A celebração acontece em 09 de maio e foi denominada como TRINTARTE . O evento apresenta obras do artista Douglas Krieger. Podem participar do evento as pessoas que confirmarem presença através do contato (41) 3322-9339. O objetivo é a arrecadação de R$50 mil em prol dos atendidos pela instituição.

A TRINTARTE marca os 60 anos da Apae Curitiba em 2022. Durante esses anos, a instituição tem proporcionado a mudança na vida de milhares de pessoas com deficiência intelectual ou múltipla. Além das terapias que são essenciais no desenvolvimento da pessoa com deficiência, oferece atendimento na educação e assistência social de forma gratuita.

O artista foi convidado pelo curador e professor de arte da Escola Integração e Treinamento do Adulto (CITA) da Apae Curitiba, Luiz Fernando Amorim Custódio. “Eu tinha feito uma exposição em Antonina e daí o Antônio que trabalha na Apae falou dos bazares beneficentes e tudo. Ele me explicou como funcionava a instituição e falei que se precisassem a gente conseguia fazer uma exposição beneficente. Eu já estava trabalhando para o Douglas Krieger, fazia uns trabalhos de final de semana, e vi que tinha muita peça dele parada que sobraram de exposições. Falei para o Douglas doar. Conversei e ele fez a doação”, conta. “A ideia era ter feito a exposição há dois anos atrás, mas como veio a pandemia ficou mais difícil. Aconteceu que eu vim trabalhar na Apae e ficou mais fácil”, explicou o professor da associação. 

O custo total que a Apae Curitiba pretende arrecadar será uma forma de manter as cinco escolas em funcionamento, os três centros terapêuticos e as sete casas lar. Hoje a associação realiza, em média, 50 mil atendimentos terapêuticos por ano, totalmente gratuitos.

O presidente da associação, Paulo Roberto Michelon, conta que “a Apae Curitiba, como as instituições sociais de um modo geral, promove os mais variados tipos de eventos com o objetivo de levantamento de recursos financeiros para o sustento das suas atividades, visto que todo o atendimento prestado é gratuito – no nosso caso nas áreas de educação, saúde e assistência social (cinco escolas, três centros terapêuticos e um conjunto de casas de acolhimento com sete unidades)”, diz. 

“Procuramos gerar nos eventos realizados, sempre que possível, oportunidades adicionais que possibilitem a participação também das pessoas com deficiência que atendemos – estudantes, pacientes e acolhidos -, gerando valores agregados como oportunidade de integração/interação social. Esses eventos nos ajudam, ainda, a divulgar para toda a sociedade o trabalho que a Apae desenvolve”, completa o presidente. 

Para chegar aos R$50 mil, os convidados precisam fazer uma doação referente ao valor da obra desejada. A doação integral entrará diretamente na conta da instituição, sem intermediários. 

A Apae Curitiba 

A Apae Curitiba atua há quase 60 anos em prol da pessoa com deficiência intelectual ou múltipla. Durante todo esse período, sustentou seu trabalho com a colaboração da população. E através das doações manteve todas as suas escolas e ofereceu saúde às pessoas com deficiência. A instituição pertence ao terceiro setor. É uma organização não governamental (ONG) que precisa, essencialmente, da colaboração e solidariedade das pessoas. 

A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) foi criada no Rio de Janeiro em 1954. Em Curitiba, foi fundada em 6 de outubro de 1962 e surgiu sob o escopo do movimento: promover e articular ações de defesa de direitos, prevenção, orientações, prestação de serviços e apoio às famílias. Busca o desenvolvimento integral, habilitação e reabilitação, melhoria da qualidade de vida e inclusão social da pessoa com deficiência intelectual ou múltipla, na família e comunidade.

Na capital paranaense atua em três pilares – educação, saúde e assistência social -, e conta com a força de trabalho de quase 300 colaboradores para manter cinco escolas especializadas, três centros terapêuticos e sete casas lar, atendendo quase 500 alunos, alcançando mais de 700 atendimentos por dia, considerando o turno integral, e 37 acolhidos nas Casas Lar. Hoje a associação realiza, em média, quase 50 mil atendimentos terapêuticos por ano, totalmente gratuitos.

“Os recursos que forem levantados neste evento, em especial, serão direcionados à ampliação da nossa estrutura de atendimento nas áreas de educação e de saúde. Na área de educação, em que atendemos 465 estudantes, nos últimos quatro períodos escolares, deixamos de atender mais de 500 pedidos de matrículas, dada a plena ocupação das vagas disponíveis. E na área de saúde, em que fazemos, em média, 50 mil atendimentos por ano, os investimentos serão direcionados para reforma dos espaços e instalação de equipamentos de terapia e reabilitação mais atuais, que darão a Apae a possibilidade de não só de atender mais pessoas mas de empregar técnicas com melhores resultados”, detalha Michelon. 

A exposição

A Exposição acontece a partir das 19h30 do dia 09 de maio, no Bourbon Curitiba Convention Hotel,  Rua Cândido Lopes, 102, no Centro de Curitiba, com obras do artista plástico Douglas Krieger. 

Krieger tem mais de 45 anos de carreira e produziu obras que se espalharam pelo mundo. É reconhecido por seus traços fortes e impressionistas que retratam cenários paranaenses. sua primeira exposição individual aconteceu em 1978 na Galeria SH-316, também fez exposições coletivas no Graciosa Country Club, SESC, Caixa Econômica, Mcdonald’s, Shoppings, Rotary Club e Clube Curitibano.

“Escolhemos o Douglas por se tratar de um artista paranaense de renome e por utilizar traços impressionistas em suas obras. Como estamos no ano em que comemoramos o centenário da semana de 22 [Semana da Arte Moderna] e os 60 anos de Apae buscamos uma referência do nosso estado”, diz Luiz. 

Em março o artista esteve na instituição, onde propôs levar aos alunos uma manhã de aprendizado sobre a pintura. Na atividade, os alunos passaram a manhã no bosque da Apae, em Santa Felicidade, pintando quadros com a supervisão de Krieger. Através da arte, foi possível se aventurar, explorar as habilidades, estimular a criatividade e desenvolver o potencial daqueles que participaram da tarefa.

“Quando me chamarem, será um prazer vir aqui. Graças a Deus o Luiz me convidou e tenho certeza que ele não vai perder o tempo comigo. Eu estou aqui a disposição de vocês, eu me propus com o Luiz e a Apae”, diz o artista.

Saiba mais sobre a Exposição de Arte em nossas redes sociais 

Notícias Relacionadas

Sem mais notícias por enquanto!
Skip to content