Notícias

Apaecast lança episódio sobre a técnica de bandagem. Confira!

Andrea Ilowski, explica os tipos de bandagem e a importância do acompanhamento da família e de profissionais nesse procedimento.
Apaecast lança episódio sobre a técnica de bandagem. Confira!
Eduarda Zeglin
Estagiária de Jornalismo
Publicado em

O Apaecast desta segunda-feira (31) entrevistou Andrea Portela Ilowski. A fonoaudiólogia trabalha na Escola Luan Muller da Apae Curitiba e atua há 33 anos na instituição. Ela fala sobre a técnica de bandagem e como é feita a aplicação nos alunos. 

A técnica de bandagem criada pelo quiropraxista Kenzo Kazek, tem o objetivo de prevenir lesões e trazer estabilidade para as articulações e os músculos. As fitas elásticas e adesivas auxiliam e promovem o aumento da circulação sanguínea, aliviam a dor e aumentam a prospecção da região que está a bandagem. São indicadas para atletas lesionados, para pessoas com problemas ortopédicos e musculares e para crianças com deficiência. 

Andrea explica que existem quatro tipos de fitas, dentre elas as específicas para bebês e pessoas que têm a pele sensível. As fitas comuns encontradas em farmácias, as rígidas usadas em casos específicos, onde você precisa de uma sustentação do próprio corpo, podendo ser utilizada em até 4 horas, e a cross tape, também muito utilizada para trabalhar a energia do corpo e aliviar a dor. Geralmente ela é utilizada na fonoaudiologia para crianças com bruxismo. 

Os profissionais da Fisioterapia, Terapia Ocupacional e da Fonoaudiologia que trabalham na escola CEDAE, utilizam a técnica para auxiliar no controle da vedação labial e posicionamento de língua, estabilizando articulações e musculatura de membros superiores e inferiores.

A fonoaudióloga conta que ao aplicar a técnica nos alunos é necessário que haja uma avaliação do caso, conforme o seu desenvolvimento e seu caso específico, após esse procedimento a equipe entra em contato com a família e faz as orientações necessárias. É fundamental que a criança seja acompanhada pelos profissionais e pelos responsáveis para ver se ela está desempenhando bons resultados ou não.

Seja um Voluntário da Apae Curitiba

Já pensou em doar algumas horas da sua semana para ajudar aqueles que necessitam? A Apae Curitiba precisa de você. Ser voluntário é uma atividade prazerosa e com espírito de equipe você contribui para o fortalecimento da organização na sociedade. Ficou interessado? Clique AQUI. Será um prazer ter você junto conosco, na causa da pessoa com deficiência intelectual.

Hoje a instituição atende quase 500 estudantes em cinco escolas, oferecendo saúde e assistência social. São realizados, em média, 50 mil atendimentos terapêuticos por ano e 3,5 mil por dia. Por ser uma instituição sem fins lucrativos precisa de apoio da sociedade. O ambiente precisa de reformas e para isso, que tal doar para a Apae Curitiba e apoiar a causa da pessoa com deficiência intelectual ou múltipla? É muito fácil, clique AQUI e saiba mais.

Foto: Revista Saúde 

Notícias Relacionadas

Sem mais notícias por enquanto!
Skip to content