Notícias

Cinco formas criativas de estimular o aprendizado de crianças com deficiência intelectual

As atividades são estratégias que proporcionam a aprendizagem e desenvolvimento.
Cinco formas criativas de estimular o aprendizado de crianças com deficiência intelectual
Redação Apae
Publicado em
Estudante da Escola CEDAe brincando com um balão

Considerando que crianças com deficiência intelectual apresentam limitações na comunicação, autocuidado, adaptação social e em assimilar conteúdo escrito, é recomendado que a forma de aplicar o conhecimento, na prática para esses alunos, seja de maneira mais lúdica. Pensando no desafio que muitos professores enfrentam em sala de aula, trouxemos cinco formas criativas de aplicar o conhecimento em sala de aula, tornando o dia a dia, tanto do aluno quanto do professor, mais produtivo e interessante.  Os jogos e brincadeiras são estratégias que proporcionam a aprendizagem e desenvolvimento de maneira com que a criança construa conhecimento mostrando o seu nível cognitivo. Veja!

1- Explorar as formas geométricas

Brincadeiras que exploram as formas geométricas ajudam o aluno na percepção visual e, também, na coordenação motora. Umas das formas de aplicar isso, na prática, é pedir para que os alunos encontrem no ambiente objetos que tenham a forma geométrica solicitada. Caso possua brinquedos com peças geométricas para encaixar à disposição, ou até mesmo com cartolina e E.V.A são ótimas opções de brincadeira que ajudam tanto para coordenação motora, como concentração e paciência.

2 - Memória Tátil

A brincadeira irá estimular a percepção tátil através da discriminação de diferentes texturas. Basta confeccionar pares de cartelas nas quais deverão ser coladas texturas iguais, por exemplo: duas cartelas com lã, duas com palitos de fósforo, duas com cordões, duas com feijão, duas com arroz, etc, formando um jogo de pelo menos seis pares. Depois espalhe as peças sobre a mesa e peça que as crianças com os olhos vendados procurem os pares através do tato. Aquele que fizer mais pares ganha o jogo.

3 - Memorização de letras e imagens

Essa é uma forma de registrar o alfabeto de um jeito interativo. Usando esse recurso como jogo, você pode criar um jogo da memória, com o uso de papel sulfite ou cartolina, colocando na capa a letra inicial da palavra. Depois você pode apontar para a letra pedindo para o aluno dizer o nome do objeto com a respectiva letra. Além de ajudar na memorização, também é um grande aliado para a alfabetização.

4 - Contagem com palitos

Uma das várias formas de trabalhar com quantidade e ensinar os números é utilizar palitos de sorvete. Você pode criar um bolso, uma caixa ou qualquer ambiente em que a criança possa colocar os palitos dentro do local. Neste ambiente precisa estar escrito do lado de fora a quantidade de objetos que precisa ser colocado dentro. Assim, o aluno aprenderá a quantificar as coisas do cotidiano.

5 - Conhecimento das cores

Identificar as cores são marcos no desenvolvimento das crianças. Então incluir brincadeiras e jogos que incentivem o aprendizado das cores é uma forma legal e divertida de estimular o conhecimento por parte das crianças. Por exemplo, brincadeiras com tinta, espumas coloridas ou lego. 

Independente de qual for a brincadeira ou jogo escolhido, é sempre bom lembrar que quando o aluno acertar, deve-se usar reforço positivo, parabenizando- o ou fazendo um elogio, um “muito bem, você acertou”, palmas, abraços, uma bala, e por aí vai. E mesmo que não acerte o incentive a continuar para que ele se sinta confiante e passe a acertar das próximas vezes. Além de ajudar seus alunos a aprender de uma forma mais divertida, você também estará mantendo-os muito mais motivados.

Faça um PIX e ajude a Apae Curitiba

Doar ficou ainda mais fácil com a opção PIX. Agora você tem mais essa modalidade, que é muito rápida, prática e segura. Lembre-se, que sua doação vale muito para a Apae Curitiba. Atualmente, são quase 500 estudantes e 35 moradores que recebem atendimentos nas áreas de saúde e assistência social. São realizados, em média, 50 mil atendimentos terapêuticos por ano e 3,5 mil por dia. Por ser uma instituição sem fins lucrativos precisa de apoio da sociedade. Faça um PIX pela chave: doe@apaecuritiba.org.br (Chave

A Apae Curitiba conta com três centros terapêuticos com atendimentos gratuitos às pessoas com deficiência intelectual ou múltipla. A instituição é mantenedora de cinco escolas especializadas localizadas em Santa Felicidade, Batel e Seminário, em Curitiba; e sete Casas Lar. Confira nossas escolas clicando AQUI

Notícias Relacionadas

Sem mais notícias por enquanto!
Skip to content