Notícias

Apae Curitiba é uma organização não governamental. Você sabia?

A instituição trabalha há quase 60 anos em Curitiba com o apoio da população
Apae Curitiba é uma organização não governamental. Você sabia?
Rhúbia Ribeiro
Assistente de Marketing
Publicado em
organização não governamental: alunos sentados em um ambiente aberto

A Apae Curitiba atua há quase 60 anos em prol da pessoa com deficiência intelectual ou múltipla. Durante todo esse período sustentou seu trabalho com a colaboração da população. E através das doações manteve todas as suas escolas e ofereceu saúde às pessoas com deficiência. 

De acordo com essas características, a instituição pertence ao terceiro setor. É uma associação não governamental (ONG) que precisa, essencialmente, da colaboração e solidariedade das pessoas. Geralmente, entidades deste ramo recebem apoio financeiro dos associados (pessoas físicas), doações de empresas privadas e, em alguns casos, verbas da iniciativa pública. 

Uma ONG não pertence à iniciativa privada, portanto, não tem fins lucrativos, assim como também não pertence a um governo. Enquanto as organizações governamentais são mantidas pelos governos: Federação, estados ou municípios. A Apae tem por missão atuar em áreas vulneráveis da comunidade que não são ofertadas pela ação governamental ou não são suficientes para resolver a situação. 

A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) foi criada no Rio de Janeiro em 1954. Em Curitiba, surgiu em 6 de outubro de 1962 sob o escopo do movimento: promover e articular ações de defesa de direitos, prevenção, orientações, prestação de serviços e apoio às famílias. Busca o desenvolvimento integral, habilitação e reabilitação, melhoria da qualidade de vida e inclusão social da pessoa com deficiência intelectual ou múltipla, na família e comunidade.

Na capital paranaense atua em três pilares – educação, saúde e assistência social -, e conta com a força de trabalho de quase 300 colaboradores para manter cinco escolas especializadas, três centros terapêuticos e sete casas lar, atendendo quase 500 alunos, alcançando mais de 700 atendimentos por dia, considerando o turno integral, e 37 acolhidos nas Casas Lar.

Para a diretora da Escola de Educação de Estimulação e Desenvolvimento (CEDAE) da Apae Curitiba, Margareth Terra, o funcionamento dos atendimentos terapêuticos da associação é feito por um convênio da instituição com o Sistema Único de Saúde (SUS). “As crianças de zero a três anos são encaminhadas para a instituição pela Secretaria Municipal de Saúde, já para as outras faixas etárias a busca é espontânea, ou seja, a família vai até a Apae com o laudo neurológico, o qual passa por uma avaliação da equipe multiprofissional com pedagogos e terapeutas. Depois ele é inserido no atendimento e passa a frequentar uma turma da escola”, diz. 

O atendimento na área da saúde não é um serviço obrigatoriamente previsto para as escolas (se não a orientação e acompanhamento). Porém, a Apae Curitiba entende que é vital para o acompanhamento, tratamento e qualidade de vida dos alunos e acolhidos, além de facilitador para as famílias. Por isso mantém à disposição toda a estrutura de serviços. Para participar dos atendimentos feitos pela instituição, entre em contato com as escolas clicando AQUI.

Saiba mais sobre a organização em nosso podcast

Matéria: Rhúbia Ribeiro 

Notícias Relacionadas

Sem mais notícias por enquanto!
Skip to content