Notícias

Festa Julina une Escolas CITA e Vivenda da Apae Curitiba

Os estudantes puderam participar de todo o processo de confecção dos adereços e decorações, sendo integrados desde o planejamento até a execução, o que promoveu um maior engajamento e senso de pertencimento ao evento.
bio-eduarda-zeglin
Eduarda Zeglin
Jornalista, Assistente de Comunicação, Marketing e Eventos
Publicado em

Na última terça-feira (02), as Escolas CITA e Vivenda da Apae Curitiba promoveram uma confraternização com a tradicional Festa Julina. Esse evento interno é uma oportunidade para os estudantes celebrarem juntos, promovendo a integração e o convívio social.

Durante a manhã, professores, funcionários e alunos reuniram-se no pátio das escolas, onde organizaram diversas atrações. Na Escola Vivenda, o destaque foi o casamento caipira, uma brincadeira divertida onde os profissionais sortearam os noivos. Enquanto isso, na Escola CITA, os estudantes dançaram a tradicional quadrilha e comemoraram os aniversariantes dos meses de junho e julho.

Antônio Nascimento, vice-diretor da Escola CITA, destacou o empenho dos alunos na preparação da festa. “Os alunos pintaram os painéis, e o professor Luiz fez todo o recorte para fazer uma alusão ao São João no Nordeste. A participação na quadrilha também foi bem bacana; eles adoram esse momento. É um evento super esperado por todos, porque é uma festa em que todos participam, dançam, cantam e brincam”, ressaltou.

À tarde, os estudantes da Escola Vivenda se juntaram aos professores para dançar a quadrilha e saborear as comidas típicas, como cachorro-quente, pastel, canjica, quentão e doces juninos. Os estudantes também foram integrados em todo o processo de confecção dos materiais e adereços utilizados na festa. A pedagoga Tatiane Felizari Martins ressaltou o trabalho realizado pela escola durante esse processo. 

‘’Aqui na Escola Vivenda realizamos este evento justamente para trabalhar a integração dos estudantes com professores e trabalhar a adaptação com todo este tema, que é muito conhecido por toda a cultura brasileira. Então, a gente sempre desenvolve com trabalhos manuais em que o aluno participe 100% de todo o trabalho, desde o começo até o fim’’.

A Apae Curitiba tem como objetivo integrar os alunos na cultura brasileira, como demonstrado nas festividades juninas e julinas. Essas celebrações proporcionam um espaço de participação nas atividades, socialização e desenvolvimento de habilidades sociais e culturais. Através dessas experiências, os alunos têm a oportunidade de vivenciar tradições populares, fortalecendo os laços comunitários e promovendo uma educação inclusiva e abrangente que valoriza a diversidade. 

Para saber tudo sobre Deficiência Intelectual, Síndromes e Transtornos, siga a Apae Curitiba no Facebook e Instagram.

A Apae Curitiba

A Apae Curitiba conta com três centros terapêuticos que oferecem atendimentos à saúde gratuitos às pessoas com deficiência intelectual ou múltipla. A instituição é mantenedora de cinco escolas especializadas localizadas em Santa Felicidade, Batel e Seminário, em Curitiba. Confira nossas escolas:

➔ Escola de Educação de Estimulação e Desenvolvimento – CEDAE: Faixa Etária: 0 a 5 anos e 11 meses. 

➔ Escola Luan Muller: Faixa Etária: de 06 a 15 anos e 11 meses. 

➔ Escola Terapêutica Vivenda: Faixa Etária: a partir de 16 anos, com atuação no EJA. 

➔ Escola Integração e Treinamento do Adulto – CITA: Faixa Etária: acima de 16 anos, com atuação no EJA. 

➔ Escola Agrícola Henriette Morineau: Adultos e adolescentes a partir de 17 anos.

Confira algumas fotos da festa da Escola CITA:

Confira algumas fotos da festa na Escola Vivenda:

Notícias Relacionadas

Benefícios gerais da atividade física no TEA

Descubra os benefícios da prática de atividades físicas para crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA), aprenda a superar desafios específicos e conheça as atividades mais recomendadas para essas crianças.

Sem mais notícias por enquanto!
Pular para o conteúdo